Hoje apareceu um link do Man Repelller no meu Twitter com as seguintes aspas: “If a blogger has it, I don’t want it”, ou “Se um blogueira tem, eu não quero”. Cliquei e fui ler a matéria que fala das sandálias Carol da Isabel Marant. Aliás, Marant fez uma última coleção digna de muitas bibocas hippies espalhadas pela cidade. Que eu amo, mas jamais pagaria milhares de dólares por nada do tipo. Enfim. O post da Leandra me fez pensar numa sensação que tenho há tempos e que não necessariamente tem a ver com blogues, blogueiras, revistas e afins. Mas como algumas tendências deixaram de ser modinha pra virarem quase que um sinônimo de histeria e padronização. A gente passou por isso com os tênis de salto anabela (também culpa da Isabel Marant), bolsas estilo Celine, calças listradas Beetlejuice, saias mullet bizarras, camisetas de rotweiller… E agora vem a onda das malhas e moletons de tigre “tipo Kenzo” e as estampas chamadas de “azulejo” (que na realidade são de cerâmica) lançadas pelo Roberto Cavalli e copiadíssimas por todo mundo nesta estação. Quando a gente não quer parecer parte de um exército vestido numa loja de departamentos, fugimos destes estilos ou vamos acabar como as centenas de meninas que vimos na temporada passada nos corredores do SPFW, uniformizadas de shorts e calças listradas de preto e branco, e que em noventa por cento dos casos tinham o corpo deformado por listras mal feitas e roupas mal modeladas. Tudo isso só me faz querer cada vez mais comprar roupas atemporais ou roupas usadas, bem velhas e exóticas. Voltei até a costurar ultimamente porque estava com vontade de ter uma carteira feita a mão. Também me faz pensar em onde vai parar tudo isso quando, daqui a dois meses, ninguém aguentar mais tanta mesmice. Será que o mundo precisa de tanta produção de lixo? Será que os brechós dão conta de repassar tanta tendência batida? Mari Inbar me contou há alguns meses que muitas fast fashion estavam com as lojas lotadas na Europa, sem vender nada. Amigas de Nova Iorque me contaram que perceberam isso também. Será que passou? Não sei. Mas eu, que já vivia num mundo meio alienado de tudo, voltei a me inspirar em personagens de livros e filmes. Nunca antes tive tanta preguiça de qualquer coisa que vejo repetidamente em sites e revistas. E vocês?

Foto: Google

142 Comentários

  1. Obrigada por falar tuuudo que estava “entalado” aqui! rs

    • Grace Borges

      Falou tudo, Fabíola!!! E essas calças listradas pra mim, são as piores!! Concorda?

    • Já reparei isso, parece que despejaram um contêiner de roupas iguais em todas as lojas e todo mundo se veste igual, tem que garimpar nas lojas alguma coisa diferente!!!

  2. EXATAMENTE o que eu sinto. Mesmo quando gosto de algo, se caiu nesse meio “look do dia” não compro. Sei que vou me arrepender porque quero passar longe dessa imagem de it girl.
    Adorei o post.

  3. Também me sinto assim, Julia… mas acho que aqui no Brasil ainda vai demorar um pouco para as pessoas perceberem isso /:

  4. E nós? Concordamos, claro. Faz meses que não abro uma revista feminina. E inspiração dos blogs de Moda tem sido mais para “não fazer igual”. No meu blog, que é sobre moda e comportamento, anda vazio de coisas de moda. Tá sendo melhor postar coisas sobre músicas, filmes, livros…O que não deixa de ser inspiração pra hora de escolher algo no guarda-roupa, né?

  5. Oi Júlia…. sabe que também me sinto assim…. e já faz um tempinho…. quando vou na casa da minha vó e vejo aquelas fotos antiguinhas …. inclusive dos anos 40 fico babando… e não me refiro só a roupas… mas móveis… quadros.. utensilhos… e sempre que tenho um tempinho e um dinheirinho ou até brechos e antiquarios…..

  6. fernanda lino

    amo ver as opiniões da julia! mais diversidade no mundo! mais estilo, menos uniformização! esse tipo de comportamento já passou de “seguir tendência” pra alienação…

  7. eu, desde sempre, (sempre!), tive preguiça dos pares de sapado da moda, dos vestidos da moda, ou de qualquer coisa que todo mundo todo mundo mesmo estivesse usando. e continuo.
    às vezes isso até me prejudica um pouco, por que gosto da peça em questão mas não quero comprar por que todo mundo tem!
    coisa mais chata que é se vestir igual todo mundo.
    mas tem ficado cada vez mais chato e dificil comprar roupas “atemporais” por aí. inclusive, e o quanto está CARO comprar roupas? camisetas por R$200 é normal!
    além de tudo igual, tudo caro.
    e viva os brechós.

    • “às vezes isso até me prejudica um pouco, por que gosto da peça em questão mas não quero comprar por que todo mundo tem!
      coisa mais chata que é se vestir igual todo mundo.” também me sinto assim, então quando gosto muito de alguma coisa que muitas vezes pessoas que nem entendem estão usando por ser tendência, eu compro e guardo pra usar quando a febre passar :]

  8. Pois é, Júlia! Eu sempre tive preguiça disso.
    Essa moda bettlejuice foi a gota d´agua pra mim! Saía de casa para ir ao cinema e a mulherada tava uniformizada de preto e branco. EU ria até, lembrando do filme… ahahaha
    É claro que eu leio blogs de moda, vejo revistas… mas pra me inspirar. Se não gostou ou não fica bom em mim, não compro e ponto final.
    Compro e uso o que me deixa bem, me faz feliz e me faz eu me sentir eu mesma.
    Estou torcendo pra que essa coisa de fast fashion tenha realmente acabado e que a mulherada volte ao ‘normal’ delas.

  9. Disse tudo e até copiei no meu face.Já faz um tempo que parei de seguir esse mundo fútil das blogueiras.Cansada daquelas caras e cabelos impecáveis o tempo todo e o mundo inteiro brigando(tudo agora é recalque) nos comentários ou perguntando onde comprou…E outra, na maioria as pessoas não tem nem estrutura pra usar certas peças.

  10. Pois é, Júlia! Eu sempre tive preguiça disso.
    Essa moda bettlejuice foi a gota d´agua pra mim! Saía de casa para ir ao cinema e a mulherada tava uniformizada de preto e branco. Eu ria muito, lembrando do filme… ahahaha
    É claro que eu leio blogs de moda, vejo revistas… mas pra me inspirar. Se não gosto ou não fica bom em mim, não compro e ponto final.
    Compro e uso o que me deixa bem, me faz feliz e me faz eu me sentir eu mesma.
    Estou torcendo pra que essa coisa de fast fashion tenha realmente acabado e que a mulherada volte ao ‘normal’, sendo elas mesmas tbm.
    Super abraço!

  11. Que postagem maravilhosa, Petit! Fazia tempo que eu não lia um texto tão bacana como esse. Realmente fico feliz que uma blogueira (embora saiba que você não é apenas uma blogueira) seja vítima das tendências. Sim, finalmente alguém deu um grito de frescor revolucionário no mundo da moda. Parabéns! Você inspira.

  12. Concordo plenamente. Cada vez mais complicado consumir. Estou sem fazer compras há algum tempo, pq fico desanimada com a padronização. Sempre fui fã de garimpos, mas até isso virou dificuldade.

  13. Eu penso nesse assunto desde que me entendo por gente, Julia. E olha que é um bocado de tempo. Virou até profissão.
    Já fui para extremos (até ontem se uma vendedora me falasse “tá td mundo usando”, eu não comprava!), e minha conclusão hoje, que pode mudar amanhã, é que não importa muito o que você está vestindo, mas sim o conjunto completo: estilo, personalidade…
    Qdo vi estas sandálias no desfile, também fiquei com muita vontade de ter uma igual, porque “é mto meu estilo”. Hoje em dia é mto difícil ter uma peça exclusiva e usar uma que está bombando não te torna uma maria-vai-com-as-outras. Assim como quase tudo nessa vida, isso aqui também é relativo.
    Enfim, tá com vontade de usar? Usa. Combina com você? Usa. Fica legal no seu corpo? Usa. Você achou lindo de morrer? Usa.
    Agora, vai usar só porque TODO MUNDO TÁ USANDO? Esse é provavelmente o PIOR motivo pra comprar qquer coisa que seja. Mas deixar de comprar algo que você gostou muito PORQUE TODO MUNDO TÁ USANDO também não é mto inteligente.
    E cada um com a sua consciência.

  14. Acho que a pior parte disso tudo é que a moda e a grande maioria dos referidos blogs de moda se baseia no status que a peça X te proporciona e não necessariamente na beleza e funcionalidade do “look”.
    Esse moletom Kenzo, por exemplo, acho horroroso! São piores que os moletons do piu piu e Frajola que eram moda na minha escola no começo dos anos 2000.

  15. Renata Albrecht

    Faz tempo que eu me sinto assim. Tem umas coisa tão ridículas que eu acho que o estilista fez de propósito, só pra trolar o povo que usa, como os tais tênis de salto. Já vu como o andar fica estranho com eles? Não uso nem por decreto. Eu estou enjoada de tudo. A tal estampa de azulejo já me cansou. Ainda faz frio aqui em SP, quando for hora de usar, já virou carne de vaca.

  16. Sabrina (sassa)

    Me too! No início pensava:”Ahhhh, eu querooooo” e hj em dia está mais para:”Nossa todo mundo tem. Vou ficar igual e com uma peça que vou poder usar umas 3 vezes. Não obrigada.” Bjoooo

  17. É por essas e outras que não curto seguir tendências. Nem posso, na minha mala só cabem 20kg. Nada melhor do que um bom look básico pra gente reinventar com os acessórios que quiser.

  18. A atenção está voltada mais para o consumismo do que propriamente dita ao que tal peça, cor, marca etc representa o suficiente para agregar ao seu estilo de vida, atualmente é um saco! ir ao shopping e ver várias lojas iguais com roupa da mocinha da novela, ou imitação de grife italiana..etc e infelizmente muitas pessoas só compram por status e não se aquilo vai ficar bem no corpo, se aquilo faz parte da sua personalidade.. Isso pra mim em tese é meio culpa dessa It´s irritantes que postam coisas do tipo “Eu tenho você não tem” ai tudo vira cópia. Adoro descobrir lojinhas escondidas por ai, brechós, bazares etc..

  19. otimo texto e sabe, sinto o mesmo. ultimamente, tenho me inspirado muito em filmes franceses dec 60, especialmente eustache e malle; e a unica roupa que comprei foi um blazer rs

  20. Super! A gente enjoa da coisa antes mesmo de chegar nas lojas, só de ver tanta foto de gente parecendo soldadinho. Ainda bem que dos itens acima, não comprei nenhum!!! kkkk

  21. Eu moro numa cidade pequena – 8 mil habitantes – e nunca vi tanta calça listrada Beetlejuice por metro quadrado em toda a minha vida nos últimos meses. Juro! Os rodeios e festas da região lotados de garotas uniformizadas com a tal calça. Sem falar que ano passado era a tarrr da camisa neon (Aquela feita dos piores materiais possíveis) e a febre dos sneakers. No verão foi o shorts de guipir colorido. Não sei o que é pior…

  22. Muita coisa feia sendo imposta. Cada um deveria olhar mais para seu próprio gosto e biotipo. Tinha uma amiga que estudou moda em Paris por dois anos, estilosíssima. Um dia ela me disse que moda não é andar na moda e que andar na moda é muito cafona. Moda é um ramo da arte que requer estudos e pesquisas. Passei a entender melhor e perdi o preconceito.

  23. Estou simplesmente batendo palmas por tudo que escreveu. Tenho um blog e sempre faço posts chamados de sinceridades, que falam exatamente sobre essas coisas ridículas do mundo da moda. Comentei no último deles, postado hoje sobre aqueles shorts assimétricos horríveis que todo mundo usa. E sobre várias coisas da moda que as pessoas usam sem pensar e sem muitas vezes saber que ficam péssimas em seus corpos. Amei o post, muito sucesso sempre!

  24. Julia, constantemente eu digo isso e observo essas coisas. Sempre me senti muito mal de me vestir como os outros, de seguir tendências, como se andássemos todos uniformizados. Essa moda das listras, pelamorrr!
    Eu fiz 3 anos de aulas de costura e faço minhas peças. Se compro, tudo que compro são peças atemporais, peças clássicas ou peças básicas, passíveis de serem customizadas ou reaproveitadas. Posso dizer que meu guarda roupas é a minha cara, e só minha cara.
    Fico feliz de ver você se posicionando dessa forma, publicamente, já que muita gente se inspira em você. Grande beijo!

  25. Nossa! Também sou assim.
    Tem coisas que você até acha bonito e gostaria de usar. Mas tem tanta gente usando que dá nojo! Você perde a vontade de ter pra não ficar parecida com todo mundo.
    Então larguei mão de ficar vendo tendências e voltar a comprar o que gusto e de preferência, peças atemporais.
    bjs

  26. Julia, comentei hoje sobre como a figura mudou nos blogs do Brasil. Quem usava Zara agora só usa coisa gringa, padronizada, e inclusive, indica produtos em DÓLARES – sim! Sandálias YSL e Marant com preços em dólares. Não apenas essa alta do dólar que vai destruir por hora o sonho da classe média emergente do Brasil, como eu sinto que existe quase um movimento exógeno, uma implosão; Não sei se existe algum jeito de parar esse monstro consumista que cresce descontroladamente, porque falta maturidade das pessoas que produzem e das que lêem esse “conteúdo”. Mas é bonito ver de fora que não apenas na natureza a ordem natural é o equilíbrio, mas como a maioria dos veículos sérios já abriu bem os olhos pra essa massificação da moda, e a tendência é que a urgência não seja mais por “quem possuiu primeiro”, e sim porquem desapegou.
    beijos!

  27. Julia, comentei hoje sobre como a figura mudou nos blogs do Brasil. Quem usava Zara agora só usa coisa gringa, padronizada, e inclusive, indica produtos em DÓLARES – sim! Sandálias YSL e Marant com preços em dólares. Não apenas essa alta do dólar que vai destruir por hora o sonho da classe média emergente do Brasil, como eu sinto que existe quase um movimento exógeno, uma implosão; Não sei se existe algum jeito de parar esse monstro consumista que cresce descontroladamente, porque falta maturidade das pessoas que produzem e das que lêem esse “conteúdo”. Mas é bonito ver de fora que não apenas na natureza a ordem natural é o equilíbrio, mas como a maioria dos veículos sérios já abriu bem os olhos pra essa massificação da moda, e a tendência é que a urgência não seja mais por “quem possuiu primeiro”, e sim por quem desapegou.
    beijos!

    • Super concordo com o post e com os comentarios. Larissa, eu acho que o Brasil tb vai acordar uma hora, soh vai demorar um pouco mais porque nao estamos exatamente na crista da onda da criatividade… mas vamos chegar la, ainda que copiando o resto do mundo. O brasileiro ainda nao sacou que ser autentico eh a melhor forma de se expressar, inclusive na moda. Parabens Julia, belissimo post!

  28. Nossa! Também sou assim.
    Tem coisas que você até acha bonito e gostaria de usar. Mas tem tanta gente usando que dá nojo! Você perde a vontade de ter pra não ficar parecida com todo mundo.
    Então larguei mão de ficar vendo tendências e voltar a comprar o que gosto e de preferência, peças atemporais.
    bjs

  29. Olha Júlia, esse “mal estar” me pegou faz um tempo…desde quando camiseta de banda é hype? As pessoas usam a bilhões de anos…comprávamos na galeria do Rock, ouvia a banda o dia todo e carregava no peito com o maior orgulho. Joey Ramone se revira no túmulo. Tshirt branca + jeans = Oi…isso é mais antigo que andar pra frente, agora é hype, tshirt podrinha é aquela que vc compra no brechó ou usa a sua preferida até gastar, virou hype…e por aí vai…ai vem as blogueiras e glamourizam tudo, como assim? muita histeria pra pouca coisa. Sinceramente não tenho muita grana e tenho meu estilo bem definido então posso ir na contra a corrente tranquilamente visitando os brechós, comprando camisetas de bandas punks e de hardcore, usando peças feitas por amigos ou por mim mesma…ser autentica é que é luxo. ótimo texto. Obrigada!

  30. Débora Rossi

    Nossa, concordo com tudo e umpouco mais! cadê o estilo próprio?E o pior de tudo é, se você tem seu próprio estilo ainda é vítima de olhares e comentários dessas cópias de fast fashion!

  31. Julia, Te admiro ha anos e esse post vem mesmo para confirmar por que te adoramos tanto. Concordo com voce, moro aqui em NY e ha tempos vejo essa mesmice tomar conta.
    Acho que o sentimento e comum aqui tambem. Tem ate um site bem legal que descobri esses dias: Shit Bloggers Wear. Da uma olhada, tem todos os “staples” das blogueiras por la.
    http://shitbloggerswear.tumblr.com/
    Beijos

  32. Julia,
    Te admiro ha anos e esse post vem mesmo para confirmar por que te adoramos tanto. Concordo com voce, moro aqui em NY e ha tempos vejo essa mesmice tomar conta.
    Acho que o sentimento e comum aqui tambem. Tem ate um site bem legal que descobri esses dias: Shit Bloggers Wear. Da uma olhada, tem todos os “staples” das blogueiras por la.
    http://shitbloggerswear.tumblr.com/
    Beijos

  33. + de 1300 mortos na Síria e o que importa é se o estilo pessoal consegue ter alguma originalidade. e ultrapassar os modismos.
    Estúpido.

    • ok,ok, todo mundo para tudo o que esta fazendo e vamos refletir sobre todas as tragédias mundiais,começando pela Síria. Ninguém trabalha, ninguém comemora aniversário, Novela hj? nem pensar.

    • Quando é pra fazer manifestação na paulista contra os R$0,20 todo mundo bate palma pro lado “cidadã” da autora, né? Agora o mundo tá uma cagada e vocês estão mais preocupadas em julgar quem segue as modas indiscriminadamente e falar por A mais B que são diferentes dessas pessoas. E eu estou aqui, minhas filhas, porque compartilharam esse link com os dizeres “FALOU TUDO” e achei que fosse algo realmente relevante. Mas porra, essa porcaria ai e ainda mais quando milhares de crianças morreram HOJE.
      Vou ver a novela, Valdirene usa calça listrada e é muito mais legal que vocês com esse mimimi sou superior e puxando o saco da Júlia Petit.

    • 1300 mortos na Síria e vc fazendo lendo isso aqui e procurando problema. Que feio.

    • Infelizmente, Amanda, poucos se importam…a maioria vive alienada do mundo, preocupada com seu próprio umbigo.
      Agora quero ver quem tem coragem de olhar para essas fotos e passar despercebido por esta real tragédia do mundo…
      https://www.google.com.br/search?gs_rn=25&gs_ri=psy-ab&tok=FgpdFq27vjwLB0T98LGEdQ&cp=6&gs_id=n&xhr=t&q=siria+hoje&bav=on.2,or.r_cp.r_qf.&bvm=bv.51156542,d.eWU&biw=1366&bih=624&um=1&ie=UTF-8&hl=pt-BR&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi&authuser=0&ei=hKgcUuOaJI7W9QSZoYHQDA#authuser=0&fp=a9837edfe62d4dd7&hl=pt-BR&q=siria&tbm=isch&um=1&imgdii=_

    • Tá tão preocupada quanto a gente. está perdendo seu tempo comentando, vá já ajudar.. aliás oq vc sabe sobre nós, está criando um esteriótipo de futilidade. Não é porque gosto de moda, de assuntos e debates sobre moda, que não me importo com causas sociais. Você sabe se faço algum tipo de trabalho social? se sou engajada na causa? Não. Uma coisa não implica na outra, gosto de moda, gosto de economia, estudo engenharia, e aí? O que é que você sabe sobre NÓS que lemos o blog da petit?

  34. Concordo plenamente. Essa democratização da moda quase acabou com a moda. Mal aparece algo novo, tu já vê em todas as vitrines, todos os sites, transborda em redes sociais. Não existe mais aquela peça que tu olha e te apaixona completamente, namora ela por alguns meses até comprar. Não da tempo, tu enjoa antes de conseguir se apaixonar por algo. De uns tempos para cá jeans preto, camisa branca, modelagens atemporais e sem estampas vem dominando meu guarda-roupas e dia-a-dia. Eu, que sempre amei estampas e cores vibrantes, quando eu passava meses procurando isso nas lojas e encontrava só meia dúzia. Ó saudades…

  35. Sempre achei que esse padrão de peças “it” é estranho. Eu não conhecia essa moda Kenzo, fiquei sabendo agora que li a matéria, e achei feio demais. As calças de Jack Skellington é uma bizarrice sem tamanho, fora as camisetas horrorosas com cães de todas as raças… Sei lá, acho que as pessoas são carentes de personalidade né?
    Bjs, Carla.

  36. Ahhh AMO a Júlia! Falou e disse! Mas hj em dia é muito difícil conseguir algo diferente.. todo lugar é tudo igual…

  37. Nossa Ethel, falou tudo! tem coisa que eu até gosto e não compro pq sei que vou estar igual há mais uns 200 na rua! e não é por nada, não é que eu goste de ser exclusiva, mas é que é tantaaaa gente igual, repetida, sem a menor criatividade, que enjoa. Tendência, é uma coisa, cópia é outra. Se é tendência o listrado preto e branco, precisa estar todo mundo de calça listrada? não dá pra diversificar? rsrsrs

  38. Primeiro ” Julita” acho tu o Máximo!
    Apegos a parte, acho que sempre existiu essa padronização, por exemplo, a dez anos atras quando abria a temporada de inverno em Campo do Jordão, víamos sempre as pessoas com o cabelo igual, óculos igual, calca igual, botas, casacos e afins. Acredito que essa massificacao foi pelo acesso fácil a Internet.
    Bjus

  39. Sabias palavras!
    Eu, igualmente quero tudo que não está em todo mundo.
    Parabéns ao pessoal do petiscos pelo conteúdo inteligente.
    Beijos

  40. Ana Luiza

    Nossa, não dá. Se os blogs, antes, tentavam mostrar moda “vida real”, com personalidade, agora viraram catálogos da mesma coisa – com modelos diferentes.
    E ainda assim, querem virar referências de algo que não criaram, só reafirmaram e reproduziram… Então tá.
    Entendo que muita gente prefira seguir tendências. É bem mais fácil assim, né. Eu mesma, por exemplo, quando era mais nova, não conseguia montar nenhum visual. Ficava insegura, com medo de ficar cafona. Daí, busquei nas revistas umas diquinhas, nos blogs uns “looks” e fui…
    É claro que não durou muito. Não conseguia acompanhar, achava desconfortável, fora de mim, desencanei, deixei para lá. Cansei de tendências, cara. Passei a reparar mais em mim, no meu estilo, no que ficava melhor no meu corpo. Quase não compro roupas mais. Acho tudo MUITO caro e parecido.
    Lembra quando nós tínhamos lojas preferidas? Aquelas que investiam num estilo, tinham uma cara, um cheiro, uma vendedora gente boa? Hoje, a maioria tem medo de criar, de vender sapatos sem tachinhas, de vender calças de corte reto.
    No final das contas, acho que o trendy é o novo cafona ahaha.

    • Ana Luiza, concordo plenamente com você. Esses dias eu e minha irmã estávamos relembrando lojas que gostávamos e que não existem mais, que tinham estilo particular e marcante e por isso encantavam a gente. Hoje em dia, TODAS vendem a mesma coisa. Cheguei à conclusão que só vou usar roupa básica, sabe. Blusa branca, calça jeans…
      Outro dia na C&A, não sei se ria ou se chorava: taí a “versão” do moleton Kenzo deles:
      http://instagram.com/p/c9OqAxLv9s/

  41. Denila Oliveira

    Você disse tudo Julia. Precisamos de tudo isso que tentam nos empurrar? Precisamos ter o cabelo liso, o corpo malhado, o tênis tal, o sapato X a bolsa Y? Onde iremos parar com esse consumismo desenfreado?

  42. Sendo direta e reta…
    Virou bunda,todo mundo tem.
    Assinado uma NÃo compradora do sneaker, da calça listrada, das saias mullets…mas que ama moda e Isabel Marant!

  43. E tem a blusa de renda do ebay/ali o short assimétrico da zara, o short q parece uma bandeira de f1 quadriculado de braco e preto, os milhares de tipos de blusa de polister/chiffon, aquele alpargata horrível da chanel, a It bag da Hermés, a Boy da Chanel, aquele sapato de spikes da Valentino e por ai vai… (enjoada de tudo igual)

  44. Concordo plenamente Julia! Obrigada por expor sua opinião e aliviar o nó na garganta de nós “anônimas”!

  45. Patrícia

    Júlia, já faz algum tempo vejo o pessoal se descabelando para ter tal peça, só porque está na moda. É desanimador. Eu e minha irmã já optamos há algum tempo, comprar em lojas menores que vendem apenas 1 modelo de cada número. Para mim, o pior dos últimos tempos foi a calça Beetlejuice, parece que todo mundo tem uma. rsrsrs… Menos eu.

  46. Bruna Resende

    Concordo. A replicação exaustivas das ditas tendências faz a moda parecer burra. É um campo em que a criatividade se esgotou e agora só resta o mal uso da reciclagem de ideias.

  47. Mariazinha

    Júlia, falou e disse!
    E fui lá pro man repeller ler o artigo, e likava pra esse outro http://www.manrepeller.com/2012/08/blinded-by-the-label.html que acho que achei até melhor!
    Nunca foi mt meu caso, mas acho q pro pessoal mais ligado a tendencias é bem isso ali!! Mts vezes não é nem que a pessoa achou bonito o tenis com salto, mas rola aquela obsessão em ter o da Isabel Marrant, ou uma cópia dele, pq sei lá.. TEM QUE TER!
    Certamente se a bolsa morcego da Celine tivesse sido lançada primeiro por sei lá… le postiche, NUNCA ia virar a febre que o modelo virou.

  48. Concordo plenamente Julia! Essa moda é uma ditadura! Nunca foi tão prazeroso me sentir diferente, vestir roupas guardadas há anos no armário; comprar roupas fora de moda; descobrir pechinchas que poucos conseguem notar. Postagem muito pertinente a sua.

  49. Acredito no retorno poderoso da moda kustom e do exclusivo. Aguardemos.

  50. Me sinto do mesmo jeito…ano passado eu amava ver vários modelos nas lojas, queria tudo que eu via na frente…esse ano já estou bem mais devagar, procurando coisas clássicas e atemporais pra usar no dia-a-dia. Sei lá acho que meu gosto por tendências da moda chegou e voltou com a mesma facilidade…não tenho nem tanto gosto mais de olhar os blogs das meninas.

  51. Tudo cansativo,mas ainda vende e a cabeça das pessoas ainda não estão preparadas para serem únicas.Estiloso pra massa é ser igual.

  52. Ainda bem que não estou só. Percebo a mesma coisa, vejo essas tendencias, e sigo algumas coisas, mas dificilmente saiu do clássico, atemporal, e do que vai da certo!! Me canso de tudo que todo mundo tem!!! Qndo eu entro em uma loja e a vendedora diz: “ta na moda, todo mundo ta usando”.. ai eu penso: eu sei, e é por isso q nao vou comprar… rs

  53. Achei seu post bem pertinente, Julia.
    Já não acompanhava blogs de moda, então muitas das “tendências” eu deixei passar.
    Até comprei um tênis de salto (preto, simples, sem nada), mais pela questão de ser um dos poucos calçados que esquenta meus pés do que qualquer outra coisa. E ainda assim, foi quando já estava em promoção, no ano passado.
    Gosto da estampa de azulejo/ cerâmica, muito antes de virar modinha, porque traz cores que gosto e sinto bem. Ainda assim, tenho lá minhas dúvidas se irei comprar algo. Provavelmente não.
    Me assusta ver que as blogueiras constroem looks do dia com peças que são bem fora da nossa realidade, tanto no preço como no estilo (ou alguém consegue usar sneaker, short saia/ skort, moletom de bicho em escritórios formais, por exemplo? E acha “super justo” pagar R$ 200 em uma blusinha básica? Eu não), além de aos poucos todas virarem um padrão: magras, cabelos lisos e com luzes/ mechas e as poses coçando a cabeça ou com os pés tortos.
    Fui, sou e sempre serei a favor de usarmos o que gostamos e nos faz bem, independente de ser moda ou não.
    E viva a diversidade!

  54. Incrível!!! Ontem estava fazendo essa análise na saída da escola das minhas filhas. Estava frio e muitos usavam casaco da mesma marca… E no meio do meio devaneio fiquei pensando, que necessidade é essa de vestir uma roupa de marca, cara… As pessoas não tem noção do preço para fabricação da mesma, e ainda assim pagam o preço que for só pela marca!

  55. Nossa! Comentei isso com uma amiga há algumas semanas! Tinha até vontade de comprar uma saia assimétrica, mas não compro porque todo mundo tem! hahahahah

  56. Alô meninas que compraram essa bendita calça listrada: o que vcs tão fazendo com ela agora? Acho que deve ser pensado duas vezes antes de comprar um roupa

  57. Sabe Ju, acho que você expressou muito bem esse movimento. Um dos lados da minha consciência “bloguística” (tenho blog há quase 4 anos), diz para mostrar as tendências e tudo mais. Já o outro lado se pergunta “Mas será que são mesmo tendências ?” Será que não são moldes para cópia em massa? Fica difícil ( e chato) falar mais do mesmo. Precisamos exercitar a criatividade não só na hora de vestir como também na hora de passar essas informação. Acho que tudo isso está cansando…

  58. Nossaaaaaaaaaaaaa… tirou as palavras do meu teclado! Eu não aguentava mais ver listras e adoro a combinação preto e branco, como amo a combinação azul e branco mas, já tá virando poluição visual. Prefiro dar uma olhada no meu guarda roupa e ver o que fica mais confortável e harmonioso ao invés de gastar meu rico dinheirinho pra andar de uniforme. Melhor investir nos acessórios, só pra dar um toc.
    Adoro vc Ruivão.
    Bjo

  59. Julia, você me entende! Obrigada por existir hahahahahaha
    PS. Inclusive os próprios “blogs de moda”, daqueles que na verdade são mais vitrine do que blog, estão cada vez mais se encaixando em tudo isso também!

  60. Sabrina Aimee

    Acho que vale a originalidade, mas eu vejo essa massificação como uma resposta a um estímulo de anos das mídias e tudo mais… Antigamente você via as tendencias em passarelas, desfiles, revistas e achava aquilo tudo muito impossível de se alcançar, muito inovador… Como se só algumas poucas e selecionadas pessoas pudessem usar esse tipo de moda. Lembro de ver aqueles looks nas revistas da minha mãe, que nem ela nem nenhuma amiga dela usariam. Hoje o alcance maior a informação e a modernização mudaram essa realidade. “Desculpa mas não vai ser só uma menina riquinha que vai fazer a fashionista, agora a menina mais pobre pode ir na loja de departamento ou na feirinha e vai ter mais opções, vai ter algo parecido com o que ela vê na midia” (uma amiga disse aqui do meu lado rs)
    Como meu objetivo não é “fazer a fashionista”, realmente me sinto obrigada a aderir a tendência, toda vez que vou ao shopping ou vejo alguns sites de moda… Mas sempre existe uma saída, sempre dá para inovar, para fazer diferente. Acho super válida a ideia dos brechós, e garimpar mesmo, buscar peças alternativas que combinem com várias outras e ir brincando nas combinações.
    ps. Saudade dos seus posts Ruiva!

  61. Ju Petit, falou tudo. É claro que gosto é gosto, mas acho horrível essas modinhas e meninas se estapeando por roupas que (pelo menos eu) acho ridículas (leia calça Beetlejuice/faixa de pedestre). A Thassia posta algumas roupas lindas, outras que dão medo. E no dia seguinte vemos milhares de pessoas usando, de Iguatemi a 25 de março. É insano! As pessoas acham que tem estilo quando, na verdade, não tem nenhum. Nem estilo, nem personalidade.

  62. Camila Zarpellon

    Penso justamente a mesma coisa. Tudo padronizado, as vezes até dá vontade de vc ter a peça, por ter se identificado…mas aí vc sabe/pensa que vai vir uma overdose igual, inspired…e desanima.

  63. Stefanie Stefaisk

    Hoje mesmo estava pensando sobre isso. Estar na moda não significa usar o que ta todo mundo usando. Algo que está na moda não necessariamente significa que é bonito – taí a calça beetlejuice que não me deixa mentir. O pior é que muitas dessas “modas” desvaloriza ao invés de valorizar; mas todo mundo quer, todo mundo tem. É a febre do consumismo desenfreado, de mostrar que tem TAMBÉM. As pessoas esqueceram (muitas delas sequer sabem) que moda reflete quem você é, não o que você tem. E não é a saia mullet que 200 milhões de pessoas estão usando que vai refletir isso. Por onde anda mesmo a personalidade?

  64. Manu Gomes

    Disse tudo! Uffa estou até aliviada só de ler isso num blog! Arrasou e ponto.

  65. Thais Moretti

    Super concordo!
    Ontem mesmo estava pensando: o que as pessoas que compraram calças listradas estão fazendo com elas hoje? Já não dá mais pra usar, saturou, virou passado.
    Realmente, não tem vantagem nenhuma ficar “na moda” com essa moda tão passageira.

  66. Maiara Peres

    Julia este texto foi a MELHOR explicação e justificativa para o o amor e admiração que sinto em relação a seu trabalho.

  67. Concordo plenamente… Se uma blogger posta uma blusa listrada no outro dia acaba o estoque de blusas listradas do Brasil todo. Na minha opinião as garotas que se interessam por moda e que gostam de se vestir bem, estão todas sendo intoxicadas por certas blogueiras, que na maioria das vezes só está usando um look porque está recebendo para vestir aquilo. E muitas meninas estão tão cegas que não enxergam que é quase tudo jaba. Muitos blogs perderam totalmente a essência do conceito Escrever um diário pessoal que o blog foi inventado. A cura para isso esta um pouco distante porque como o poder aquisitivo das pessoas esta lá em cima e elas conseguem comprar imediatamente o uniforme que vão vestir na próxima semana, não da tempo nem de pensar se aquilo vai valer a pena ou não se vai valorizar seu corpo, as pessoas se acomodaram também, porque copiar aquele look é mais facil do que ter o trabalho de ir garimpar nas lojas. É assim: eu vi a blogueira vestindo e quero agora… Já esta ficando chato… E Instagram de blogueira??? ninguem aguenta mais so foto de evento e da academia… Cade a vida real???

  68. Jessica Matos

    Por isso é o ÚNICO blog que leio! Parabéns!!!

  69. Acho que tudo cansou, de alguma forma, Júlia. Eu tenho a sensação de que tudo isso vai acabar. Não existe mais nada para inventar. Eu espero – e acho que, eventualmente, irá acontecer – que as coisas voltem a ser simples. Voltem a ser de verdade. Voltem a ser palpáveis. Sem mais do mesmo. Obrigada pelo post! Acho que todos precisávamos disso.

  70. Falou tudo o que eu andava pensando, cansada de ver mesmices em tudo quanto é blog e nas ruas… sinto falta de ver pessoas mais originais… eu adoro um brecho e roupas comuns, onde posso estar colocando idéias em pratica, criando aplicações que só eu terei… não gosto de andar igual a ninguém, como dizia a minha vó, “parece que vai cantar” (pelo fato que antigamente bandas e duplas era tudo uniformizadas) rsrs… boa noite …

  71. Luiza Mello

    Obigada por falar em um post tudo o que eu sinto em relação às tendências da moda!

  72. Oi Júlia,
    achei bem engraçado quando li aqui o seu post, porque eu escrevi um texto com um assunto bem parecido e soltei no blog hoje de manhã, falando sobre como as pessoas esqueceram do estilo para investir só em moda, se inspirando em “ícones”(bloggers) que vestem de um tudo!
    Se tiver um tempinho, dá uma olhada!!
    Beijos!

  73. Thaís Muniz

    Eu estou sentindo exatamente isso que você escreveu Julia! Procuro me vestir o mais diferente possível de todo mundo, acho que tudo bem buscar referências, seja aonde for, mas acredito que o próximo passo é encontrar o seu estilo e ser fiel a ele.
    Ando sentindo isso no campo da beleza também.. Eu tenho cabelo castanho claro e sou apaixonada por cabelo loiro, e ando querendo mudar um pouco mas quero fugiiiiir do tom de loiro porque é o que todo mundo faz!!!!! Anda na rua e conta quantas californianas e ombres vc ve? To enjoaaada disso… Nao da ne, mais originalidade, por favor! Amei o post! 🙂

  74. Concordo com tudo, hoje em dia se eu vejo em lojas o ” must have” da estação, passo longe!! Me inspiro em filmes e personagens, tenho um estilo bem clássico/romântico. E quando vejo um tecido e tenho uma ideia de roupa, minha mãe faz pra mim. Amo ser diferente !!

  75. Juliana A.

    Ótimo texto, Julia. Estou pesquisando sobre moda e tendências para a minha monografia da especialização e este texto veio bem a calhar para refletir.

  76. Júlia, fico tão feliz em ver que muitas pessoas vem percebendo isso. Está cada dia mais chato e cansativo ver as moçada se vestindo. No dia 01 de agosto fiz um post em meu blog com essa mesma linha de pensamento, mas tomei como exemplo as camisas de bandas que antigamente, identificavam tribos, porém, hoje, toda “girl” que é “it” de verdade precisa usar. Se tiver interesse dá uma conferida no meu post. Meu blog é bem caseiro e gosto de mantê-lo assim, próximo das leitoras: http://danilices.blogspot.com.br/2013/08/modismo-vazio.html

  77. Viviane Souto

    Concordo plenamente. E palmas para minha amada maezinha que há anos veste o mesmo estilo, com variações clássicas e ODEIA essas modinhas passageiras! Ela sim, classuda! Bjs mae.

  78. Concordo. Vergonha de ter algumas peças que “orkutizaram”. Uns dois ou três anos atras gostava desse mundo de blogs, hoje acho um saco.

  79. julia, o que eu mais gosto no petiscos é que ele não vende uma imagem de mulher-perfeita, mas simplesmente defende que você tem que construir a sua imagem, o seu gosto, o seu guarda-roupa.. acho isso muito importante! nesse mundo tá cada vez mais dificil se afirmar e ponto final. você e sua equipe mostram que o bom mesmo é ser a gente mesmo, e não uma barbie montada por uma linha de montagem.. parabens!!

  80. Eu já venho com essa canseira há algum tempo também! Agora a onda são aqueles shorts geométricos( com pontas), tudo quanto é blogueira, que queira se encaixar nesse padrão, tem um.
    Sempre admirei você Júlia, agora admiro ainda mais por ser tão sincera e singela ao mesmo tempo.
    Beijos

  81. Também concordo com o que foi dito/escrito. Mas por outro lado, percebo também que as brasileiras tem um pouco de receio de se vestir um pouco ”diferente”. Quantas criticas eu vejo, por que fulando não soube ”combinar” tal isso ou tal aquilo. Aqui na Europa, mais precisamente na Suécia onde moro, as meninas não tem muito essa regra não. usam o que lhes são na telha. Mas no Brasil, tudo é muito criticado. Ai o jeito é sair ”copiando” umas as outras para que se sintam dentro dos ”padrões”.

  82. Exatamente. Falou tudo que estou sentindo nesse momento! Ta cada vez mais difícil entrar numa loja e sentir prazer em comprar algo, pois a globalização da moda, pelos blogues, vulgarizou as tendências e está cada vez mais impossível ser diferente, prefiro pegar roupas que tenho ou roupas da minha vó, mãe e customizar ou transformar. Beijos

  83. Julia, você falou tudo o que eu estava pensando. Está todo mundo igual. Eu acho que pra quem usa o que “está na moda” é mais fácil. Não tem que pensar muito, você vê e você copia. Talvez o que está faltando é pensar e brincar um pouco mais com tudo, mais leveza.

  84. Nada me irrita mais do que comprar uma coisa que eu achei superdiferente e depois de um tempo ver que apareceu na novela e todo mundo está comprando.

  85. no ultimo fds fui a uma baladinha aqui em BH. Eu e miha amiga eramos as unicas meninas de calça no local, todas, eu disse, todas de vestidinho fechado a vacuo…não consegui ver se eram FRIBOI…aff

  86. Concordo plenamente contigo! Eu tenho um blog com uma amiga minha, mas nunca fui refém de tendência nenhuma. Todo mundo acha que para ter estilo tem que seguir as revistas e os blogs linha por linha, mas para mim, estilo é na verdade personalidade. E sempre falo isso no blog, os posts são para dar um ponto de partida, uma ideia pra quem tá “perdido”, não um manual que tem que ser seguido a risca.
    Beijão

  87. Concordo com o ponto de vista do texto, mas tem uma coisa que me incomoda. Me incomoda o texto ser escrito como se a autora e o próprio blog fossem alheios à moda e todas as suas imposições.
    Esse é um blog que trata não só, ok, mas também de moda. Grande parte do conteúdo aqui tema ver com isso.
    Há DIVERSOS posts publicitários, que visam vender produtos, estes mesmos responsáveis por padronizarem todos.
    Acho um pouco subversivo não reconhecer esse vínculo no texto, como se o blog e própria Julia não lucrassem com esse movimento. Mais ainda, acho interessante nenhuma outra leitora ter feito a mesma leitura do que eu.

  88. Acho que as fast fashion estão com os dias contados… e os blogs também!!!

  89. Laura Trindade

    É triste ver tanta gente babando por short da Zara e pagando caro pq a blogueira tal está usando, ignoram o processo de fabricaçao dessas roupas. Parece que n pensam, não tem opinião, não tem gosto, essa idolatria me irrita!
    Amei o post!

  90. camena guerra

    É realmente tudo que eu sinto desde meus doze anos, na época teve uma febre de meninas usando saia jeans de prega com meias 3/4 coloridas e tênis melissa. Era uma espécie de inspiração nas colegiais e todo mundo realmente anda uniformizado. Aprendi com minha mãe que se vestir é uma forma de expressar quem a gente é e acabei assimilando que se eu me vestia igual a todo mundo, eu era igual a todo mundo. E desde então eu meio que tento fugir de tudo que vira padronização. Lembro que ninguém gostava de usar uniforme, todo mundo reclama de estar igual a todo mundo e que louco é sair da escola e começar a se uniformizar mesmo podendo ser diferente. Sempre gostei de literatura e minhas primeiras inspirações de moda vieram dos personagens que eu gostava.
    Sempre gostei da combinação do p&b e listras, mas deixei de prestar atenção nessas peças. As tais saias assimétricas nem começaram e eu já cansei delas também. Não sei por outros lugares, mas aqui na minha cidade teve uma onda de saia de paete e camisa transparente e agora tá sendo substituída pelo top cropped. Sempre tive preguiça dessa onda até ver a Lily Collins, sempre linda e sempre usando de jeitos diferentes e sempre linda rsrs, até cogitei usar alguma coisa inspirada nela. Pena quem as meninas da onda top cropped se inspirem em blogueiras que se afogam na mesmice e não na linda Lily Collins, ouem contra linda ou numa personagem inspiradora

  91. Concordo igualmente, mulherada ve que fica bom em uma e sai por ai imitando e esperando o mesmo resultado, mas a unica coisa que conseguimos ver é realmente a falta de personalidade associado ao mau gosto!!

  92. É, tá chato demais. Antes a gente via só adolescentes com roupas muito parecidas entre si, agora as mulheres adultas estão padronizadas também. Cadê a criatividade, minha gente?

  93. Super concordo…. Ainda mais com a história que blogueira tem, eu ñ quero…. Nos últimos meses andei observando os blogs e instagram de blogueiros de diversas áreas, é um bombardeio de marcas, q eles recebem como mimos e ai porum periodo de tempo a timeline (principalmente instagram) fica completa de fotos daquela mesma sandália, bijoux e sapatinhos de crianças (mas na minha área)…. E ai é aquela euforia do eu tb quero e em tempo recorde conhecidos e outros nem tantos tb postam fotos quase padronizadas com aqueles “objetos de desejo”….. O diferente virou padrão!!!! :-/

  94. Queli Forgiarini

    Ufa, estou me sentido aliviada e ao mesmo tempo feliz de ler esse texto em um blog/site tão represetativo para moda no Brasil. Sou muito partidária dessa opinião que um exército de pessoas vestidas da mesma maneira é vazio… cadê a identidade das pessoas, o toque pessoal, o estilo…??? É por esse comportamento que em muitos momentos me pego desacreditada para não dizer “BROXADA” com a moda que por décadas foi muito interessante, em termos comportamentais principalmente. Até onde isso vai? Não sei, mas que o fato de estarmos falado e expondo a nossa opinião contrária a esse movimento já é uma começo ou um iniciozinho talvez de um novo momento, quem sabe?!

  95. Alguém sabe porque não teve vídeo de make a semana passada? Teve algum aviso que eu não vi?….acho que perdi alguma coisa, porque estava fora e não consegui acessar internet….se alguém souber, por favor, me responda! Obrigada meninas!

    • Estamos com um problemas nos computadores. Fizemos atualização nos Macs do estudio e eles agora estão corrompendo os arquivos de vídeo dos cartões SD. Já aconteceu isso com quatro vídeos. Tem muita gente reclamando do mesmo problema. Parece que é um bug da versão atual. Estamos correndo pra solucionar para o video desta semana. 😉
      BJsss!!

  96. Julhão, falou tudo!
    Eu não aguento mais essa mesmisse, essa falta de criatividade e preguiça de muita gente que prefere copiar do que fazer algo original!

  97. Eu sei que é feio apontar, mas tem uma blogueira (ou muitas!) que cada dia/semana/mês tem um estilo diferente: do boho chic ao preppy, tudo exatamente como manda a modinha da vez… ZZZzzzzzZZZZZZzzzz… Só fico chateada com as estampas de azulejo pq tem uma loja em São Luís que vende uns vestidos liiiindos com estampas dos azulejos portugueses característicos da cidade. Eu amooo e me achava super descolada por usar, mas agora fico parecendo maria vai com as outras, como se eu tivesse uma necessidade enorme de ser aceita e por isso vistisse o q mandam… um saco!

  98. Caracóis Indomáveis

    Pois… Eu também já não aguento ver calções-cueca, saias curtas à frente, artigos com tachas, etc…
    Essa moda das calças às riscas brancas e pretas é do pior!

  99. Rita Andrade

    Finalmente um grupo de pessoas que sente exactamente aquilo que eu sinto há já alguns meses. Acho que chegámos à zona decrescente da curva de benefício que a blogosfera traz a uma marca. Basicamente, neste momento o meu estado de espírito é “se “elas” têm, então eu não quero” – por muito que goste. Passámos o nosso estilo pessoal para segundo plano e virámos clones de tendências criadas por – muitas vezes – blogger de gosto extremante duvidoso (e nisso a blogosfera Portuguesa é exímia). Cada vez mais estou certa de que non-trend é o novo preto!

  100. Nunca sou de comentar em posts de blog e afins, sempre penso “Ah, a dona do blog não vai ler mesmo!”, mas esse eu tive que comentar. Apesar de eu não ser estilosa, viver com roupas comuns e simples, gosto de ler sobre moda e na minha realidade, ficanceira, me vestir bem. Há tempos que eu tinha essa impressão, cansei de acessar blogs “de moda” pois todas estavam iguais. TODAS iguais, tanto em roupa como em maquiagem. Resenha de produtos? IGUAIS. Roupas? IGUAIS. Não tem como se “espelhar”, se inspirar nessas blogueiras, a diferença não é mais diferente de fato. Concordo com suas palavras, as modinhas já estão ultrapassando o bom senso. Peças que antes de virarem modinha eram lindas se tornaram “feias”. É incrível como tudo ficou “banalizado”. Nas ruas se vê a mesma coisa, todo mundo igual. Em relação aos blogs, poucas blogueiras são ousadas e originais, são poucas as referências que temos para nos inspirar. Gosto MUITO do Petiscos por isso, são pessoas diferentes que passam através do seu estilo coisas ousadas para nós leitoras e nos encorajam a ser nós mesmas. Que o blog continue assim, original, com moda e sem modinha.

  101. Amei seu texto e vou colocar no blog do meu Brechó como um alerta para os que não pensam…e para que comecem a pensar!! um beijo da fã!!

  102. Julia, esse tema poderia render um bate papo mais dinâmico, o que acha? Reunir mais sei la 2, 3 quantas pessoas conhecer que poderiam opinar sobre, e fazer uma live no youtube pelo hangout, ou algo do tipo. Porque eu ando numa ressaca tão grande de loja. É uma sensação estranha, não consigo ver conteúdo de moda mais, muito chato. Minha referência tem sido mad men basicamente, e nem tudo vem pro guarda roupa contemporâneo, enfim, nem comprar eu consigo mais, mas digo comprar mesmo, achar aquela peça da vida sabe… Enfim, fica o apelo 🙂

    • Amei a pergunta! Tanto que resolvi fazer um post pra gente poder conversar com mais pessoas sobre isso. Vai entrar às 17:00.
      Bjsss!!!

  103. Luciana Machado

    Vez em quando eu venho ler esse texto pra ter certeza que gostar de moda, mas se sentir um peixe fora d’água por tamanha preguiça de todas essa padronização que tem transformado a moda real, de rua, em uma mesmice sem tamanho, faz parte e que tem quem compartilha desse mesmo sentimento.