web counter

Meus Petiscos

Agora você pode salvar seus posts favoritos. Cadastre-se ou faça Login para começar!

Para recuperar sua senha, digite seu e-mail no campo abaixo e clique no botão "enviar-me nova senha". Você receberá um e-mail com uma nova senha gerada aleatoriamente.



cancelar

Anos 40

dita-von-teese

Há um ano vimos Rachel Weisz investir na estética dos anos 1940, lembra? A década de 40 que já rendeu manual da Dani Bonani (com uma aula de estilo!) e da nossa ruiva, é referência corriqueira no guarda-roupas de Dita Von Teese, uma das garotas que vestiram modelos retrô nos eventos de ontem (imagem acima).
A burlesca usou um vestido Carolina Herrera com cintura marcada e um decote estratégico nos seios na festa Love Gold em homenagem à Michelle Dockery, a Lady Mary de Downton Abbey. E não é que Michelle, a homenageada da tarde, também usou um modelo com um pé na década do fim da II Guerra Mundial? O vestido preto e mostarda Barbara Casasola:

michelle

A atriz gostou tanto do comprimento que investiu em mais um look em outro evento de ontem. Desta vez xadrez e bem colorido, combinando muito bem os tons com o sapato amarelo e a bolsa carteira vermelha: (mais…)

Passado colorido

Niver do dia: Beauvoir

simone

Se hoje as mulheres podem se separar dos maridos tranquilamente, mesmo depois de já ter filhos; se podem escolher ser solteironas pelo resto da vida; namorar homens mais novos e trabalhar em cargos de criatividade, muito disso é graças à Simone de Beauvoir. Sim, porque lá nos anos 1940 ela estava levando um relacionamento aberto com Jean-Paul Sartre, sendo terminantemente contra o casamento, escrevendo livros feministas e afirmando que o sexo não deve definir o rumo da vida de ninguém – que mulheres têm tanto direito de fazer o que quiserem quanto os homens.
A gente ainda vive em uma sociedade machista? Com certeza, mas não unicamente como antes. Se não fossem mulheres como Simone de Beauvoir, o feminismo estaria muito mais atrasado. Assim como bem menos mulheres teriam acesso a pensamentos do tipo e teriam mudado suas ideas, atitudes e estilo de vida para o que as fazem sentir feliz de verdade.
Por isso, fica aqui o nosso parabéns à ela que completaria 106 anos hoje, e também o nosso muito obrigada!

Foto: Huffington Post

Maravilhosa

De onde vem o hipster?

Entre alguns dos termos mais usados atualmente para definir o que um dia já chamamos de indie (e tantos outros nomes), está hipster. Sim, aquela turma que posta tudo no Instagram, que gosta de óculos fundo de garrafa, bigodes, triângulos, bandas que ninguém nunca ouviu falar ou que ainda lançam singles em cassete, unicórnios, filmes franceses… A lista é grande. Alexa Chung é hipster - de butique, mas né? É hipster. O Homer Simpson já teve seu momento hipster também, e quem diria! Até Paul McCartney tem seu lado hipster.
E hipster tem até olimpíada. Ah, e existe também tabela pra saber o quão hipster você é. E não acha que você escapa: você pode acidentalmente ser hipster. Mas a pergunta que não quer calar é: de onde saiu o termo hipster? Tom Wolfe, do alto de seus 82 anos, acabou com o mistério ao explicar tudinho ao WWD. E não se ache moderninho por usar a palavra não! “Nossa, hipster é uma palavra tão velha… Ela vem lá dos anos 40, acredito. Daí quando vieram os anos 60, essas mesmas pessoas estavam tomando LSD e outras drogas. Elas eram chamadas de acid heads (cabeças de ácido, em tradução livre), mas elas detestavam o termo. Então a Newsweek, tô falando sério, inventou a palavra hippie. Eles queriam que soasse similar a hipster. Eles queriam um termo suave”, contou o escritor. Taí, pra quem achava que era o contrário, mistério resolvido.

Foto: Getty Images

Hipster de outros carnavais

Quem segura?

Lembra do vestido anos 40 da Bottega Veneta que vimos com Rachel Weisz no começo do ano?
É o mesmo modelo que Diane Kruger usou na capa da publicação canadense Flare. E nós queremos saber: quem segura o modelo quarentinha?

O vestido floral faz parte da coleção primavera 2013, e foi apresentado em setembro do ano passado no desfile da Bottega Veneta na semana de moda de Milão. A proposta da marca entrou na passarela com meia calça e com a cintura marcada com um cinto extra (repare que as duas garotas acima usaram o cintinho do próprio vestido). Veja abaixo o modelo no desfile da casa italiana:

Fotos: Getty Images, Flare e Style.

VOTE

Rachel
Versus
Diane

1940

PFW: vestidinho preto

O próximo inverno será a temporada do vestido preto curinga. Assim como Mademoiselle Chanel apresentou o pretinho versátil na década de 1920, quase cem anos mais tarde continuamos a revê-lo como a sensação do momento.
E quem é que não se sente desamparada sem ao menos um pretinho no armário?
Respire fundo, tem para todos os estilos! Curto, abaixo dos joelhos, soltinho ou com cintura marcada! E quer saber em quais passarelas ele passou nesse último dia da semana de moda de Paris? Confira:

O árabe Elie Saab levou uma série de vestidos pretos para a passarela da sua marca.
E não ficou preso só ao tom fechado. Além do azul marinho, tem ainda muito amarelo, verde, branco e bordô – dos curtos aos longos. E com muita renda, transparência, fendas e recortes:

Veja mais:

Botinhas da Belle Époque que ganharam cara de moderninhas, formas que vão do começo até a metade do século XX e tudo com ar de vida no futuro, quase em clima de Jetsons. O inverno da Miu Miu ganhou decote canoa deixando os ombros de fora – mesmo detalhe que vimos na Prada, mas usando o truque de abrir um botão da camisa – e um lencinho no pescoço, afinal é inverno.
Miuccia Prada combinou bolinhas com listras em sua segunda marca, e usou o preto em quase todos os looks, contrastando com as peças de cores bem acesas, como rosa e amarelo: (mais…)

Próximo destino: São Paulo

MFW: mosaico siciliano

Na coleção da primavera 2013 (desfilada em setembro do ano passado) vimos a dupla da Dolce & Gabbana levar parte da história da Sicília para a passarela da semana de moda de Milão. Eles repetiram a referência siciliana no desfile de inverno, nos oferecendo uma aula de história da arte contada através de suas estampas.
Os mosaicos da Catedral de Monreale (em dialeto local “Murriali”) são o ponto de partida da dupla – nesta coleção que conta também com os já clássicos da marca: muitos vestidos estilo anos 40 e alguns de renda com um hot pant por baixo. A construção do séc XII é destino de grande parte do turismo da região – encontramos um video que mostra alguns detalhes do mosaico de Monreale: (mais…)

História estampada

NYFW: la Renta + Wu

A semana de moda de Nova York confirma tudo o que vimos nos últimos desfiles de alta costura: a volta da elegância das linhas dos anos 40 (clique aqui para saber mais) e dos anos 50 (veja mais sobre a década aqui), e vestidos longos rodados como os de contos de fada. E nem mesmo a passarela de Oscar de la Renta – que contou com a colaboração de John Galliano – pisou fora dessa linha. Aliás, podemos até arriscarmos dizer que até agora essa é uma das melhores coleções da semana, ou até mesmo a mais representativa.

A participação de Galliano é mais do que perceptível na passarela de la Renta. Tanto nos longos com um volume de tecido e cintura marcada, quanto nos modelos com saia lápis e a forma ampulheta – herança de tantos anos frente à casa Dior.  A grande diferença – e que ainda faz falta quando a Dior apresenta uma nova coleção – é que Galliano sabe muito bem como trabalhar a referência usada no pós guerra a deixando atual. Um trabalho de mestre, assim como Lagerfeld apresenta os tailleurs de tweed da Chanel sem deixa-los com cara de uma peça que tem quase cem anos. (mais…)

O esperado retorno

Resgatado

A moda masculina e o estilo de se arrumar estão atualmente muito ligados a um resgate das tendências de outras épocas. Cada vez mais vemos por aí caras que apostam na barba, bigode, topete e até se vestem como nossos avós, o que hoje é considerado bem moderno. Um exemplo desta influência é o novo penteado do Justin Timberlake que mostramos aqui. Estas pequenas influências podem ser vividas hoje em dia sem uma completa caracterização como do nosso amigo da foto, Matteo Gioli. Um blazer, barba e um penteado já dão a completa noção da sua conexão com a moda vintage.

Foto: HypeBeast

Direto do túnel do tempo.

Quadradinhas

As estampas quadriculadas que apareceram no desfile de Verão 2013 da Louis Vuitton parecem ter conquistado as meninas de Hollywood. Já vimos Kristen Stewart de macaquinho e Kerry Washington de look quarentinha. Agora Jessica Alba e Kirsten Dunst também escolheram modelos da coleção para o tapete vermelho. A primeira de comprimento midi, a segunda com vestido longo e decote no colo e nas costas.
Quem também usou Louis Vuitton foi Hailee Steinfeld. O macaquinho na festa de 16 anos da atriz provou que a coleção é mesmo versátil – capaz de compor produções moderninhas e retrô.

Fotos: Getty Images

Xadrez

título do post

ok
erro
ok
erro
ok
erro