Recebemos aqui na redação a especialista em sobrancelhas Suzana Galante para uma missão. E olha que o desafio era grande: arrumar cada uma das sobrancelhas das redatoras de forma bem natural (pois quem aqui quer ficar com aquele desenho de asa delta na cara? Ninguém!). Além disso, ela contou quais são os principais erros de quem tira alguns fios a mais (em casa ou salão) e deu dicas para preencher falhas, limpar sem prejudicar a linha e deixar o desenho mais bonito. Confira:

Ariane Polvani: “Eu quase não tiro sobrancelha. Como vocês podem perceber, ela é bem clara, rala e ainda tem uma cicatriz do lado direito que ganhei quando era criança graças à minha irmã mais velha. O trabalho de Suzana foi, primeiro, passar um pigmento bem leve só para dar um “brilho a mais”, conforme explicou (reparem que a cor nem muda). Depois arrumou o desenho, passou uma escovinha, um pouquinho de lápis HB (o grande pulo no gato para arrumar falhas de forma bem natural) e pronto! Ah, ela explicou que quando se passa lápis em alguma falha de um lado da sobrancelha, tem que passar do outro também, mesmo que ele não precise de correção.”

Deborah Bresser: ”Minha sobrancelha não é das mais fáceis, pois os formatos acabam ficando muito diferentes. O motivo? A da esquerda tem uma cicatriz e é mais ralinha do que a da direita. A Suzana primeiro cuidou da complicada, acertando o desenho e disfarçando a falha. Também deu a dica: pentear a sobrancelha ao contrário, para ativar os poros e fazer com que os pelos cresçam. Na da esquerda, foi só dar uma limpada e ajustar o desenho. Para finalizar, um lápis acinzentado deu a harmonia necessária. Pode ser lápis grafite também, desses de escrever mesmo (HB). Funciona do mesmo jeito e o resultado fica bem mais suave do que se a gente usar o lápis de olho. Agora é só esperar a da direita ficar um pouco mais longa e fazer a manutençao uma vez por mês.”

Fernanda Pires: ”Eu mesma sempre limpei os pelinhos extras que aparecem fora do desenho do formato da minha sobrancelha. Conclusão: eu estava com os tamanhos irregulares entre elas e uma mais curta que a outra. A Suzana consegui deixar as duas do mesmo tamanho e eu vou ter que esperar uma delas crescer no comprimento.”

Fernanda Turetta: ”Eu não tirava minha sobrancelha há alguns meses, estava deixando ela crescer – as duas últimas pessoas que fizeram erraram muito, e ela demorou uns seis meses pra ‘encher’. A Suzana tirou bem pouco, mas eu adorei que ela conseguiu fazer voltar para o formato original. Ela me explicou que o formato estava muito arredondado, o que me dava um olhar meio caído. E vendo as fotos do antes e depois vi a diferença enorme que fez! Ela me ensinou que eu preciso pentear o lado direito pra cima, pra deixar menos juntinho, e o lado esquerdo eu posso pentear no sentido dos fios mesmo.

Paula Roschel: “Eu gosto de sobrancelhas cheias e isso não é modinha por causa da Cara Delenvigne não! Mesmo assim, o que achei sensacional foi a suavizada que deu na parte superior, que era mais triangular (eu chamava de ‘morceguinho’). Ela continuou marcante, mas mais feminina. Aproveitando a conversa, perguntei sobre os erros mais frequentes de meninas que chegam lá para arrumar o desenho e ela disse que a maioria cava muito, fazendo o formato ficar diferente. A dica: quando tirar o excesso em casa, coloque o dedo em cima do desenho e só tire o que tiver para fora, com suavidade. Além disso, nunca chegue perto dos fios do comprimento, pois uma vez mais curta, o processo para retomar a forma é demorado. Outra boa dica para deixar a sobrancelha mais marcada é passar um pouco de corretivo abaixo da linha do desenho natural. Essa iluminada inferior dá uma levantada e tanto no desenho!”

Fotos: Fernanda Pires.

Desenhada e natural